Política Alargamento

Adesão: A bola está no campo da Sérvia

26 outubro 2010
Blic Belgrado

Estudantes manifestam-se a favor da adesão da Sérvia à União Europeia, em Belgrado, fevereiro de 2008.

Estudantes manifestam-se a favor da adesão da Sérvia à União Europeia, em Belgrado, fevereiro de 2008.

A 25 de outubro, os Vinte e Sete decidiram transmitir à Comissão o pedido de adesão de Belgrado. Mas o processo esconde ainda muitos obstáculos, constata o diário sérvio Blic.

Finalmente, uma boa notícia chega do Luxemburgo. Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia decidiram transmitir à Comissão Europeia a candidatura da Sérvia à UE.

A decisão foi tomada por consenso, após pressão exercida pela Holanda, que quis condicionar este procedimento à detenção de Ratko Mladic, acusado de crimes de guerra e de genocídio pelo Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia.

Belgrado deve deter Mladic

A firmeza da Holanda foi, contudo, tomada em consideração. Os Vinte e Sete insistiram que cada etapa de uma eventual adesão seja aprovada pelo conjunto dos governos da UE e que Belgrado coopere plenamente com o Tribunal. Ou seja, Belgrado deve deter Ratko Mladic e os outros fugitivos à justiça. A bola está agora no campo sérvio. E não apenas no que diz respeito à detenção de Mladic, condição que a Sérvia demora a preencher. No questionário que vai em breve ser enviado a Belgrado, a Sérvia deve registar as iniciativas tomadas para preencher os critérios políticos e económicos da adesão à UE, a luta contra a corrupção e o diálogo com o Kosovo.

A deplorável experiência da Bulgária e da Roménia

Como recordou Stefan Füle [comissário europeu para o Alargamento], o apoio que a Sérvia obteve por parte dos responsáveis europeus é proporcional às expectativas em relação a Belgrado. A euforia será, pois, de curta duração. Se não quisermos continuar a ser a eterna prometida, é necessário deitar mãos à obra, sem demora. Vivem-se tempos de profundas mudanças, por vezes muito difíceis. Após a deplorável experiência da Bulgária e da Roménia, Bruxelas reitera incessantemente que a Sérvia não poderá entrar na UE pela porta dos fundos. Nenhuma falácia permitirá enganar a União Europeia.