Ciência e Ambiente Ecologia e desenvolvimento sustentável

Energias renováveis: Portugal é exemplo nas renováveis

20 agosto 2010
The New York Times Nova Iorque

Um parque eólico da EDP em Cadafaz, norte de Portugal.

Um parque eólico da EDP em Cadafaz, norte de Portugal.

Através de uma aposta pioneira, Portugal reduziu drasticamente a sua dependência em relação aos combustíveis fósseis. Este ano, cerca de metade da sua eletricidade virá de fontes renováveis.

Há cinco anos, os líderes deste país queimado pelo Sol e batido pelo vento fizeram a aposta: para reduzir a dependência de Portugal dos combustíveis fósseis importados, embarcaram numa série de projetos ambiciosos de energias renováveis – explorando principalmente os recursos eólicos e hidroelétricos, mas também a luz do Sol e as ondas do oceano. Hoje, os bares da moda de Lisboa, as fábricas do Porto e os "resorts" luxuosos do Algarve são alimentados, de forma substancial, por energias limpas. Aproximadamente 45% da rede elétrica de Portugal virá de fontes renováveis este ano, contra os 17% de há cinco anos.

A energia eólica de base terrestre – considerada este "potencialmente competitiva" em relação aos combustíveis fósseis pela Agência Internacional da Energia, em Paris – expandiu-se sete vezes no mesmo período de tempo. E Portugal espera tornar-se, em 2011, no primeiro país a inaugurar uma rede nacional de postos de carregamento para automóveis elétricos. "Vi os sorrisos: é um bom sonho. Não é competitivo. É demasiado caro", diz o primeiro-ministro, José Sócrates, recordando como Silvio Berlusconi, o primeiro-ministro italiano, ofereceu-se, a brincar, para lhe construir um Ferrari elétrico. Sócrates acrescenta: "A experiência de Portugal mostra que é possível fazer estas mudanças num curto espaço de tempo".

O derrame de petróleo no Golfo do México renovou as questões acerca dos riscos e custos imprevisíveis da continuada dependência dos Estados Unidos nos combustíveis fósseis. O Presidente Barack Obama agarrou a oportunidade de promover o seu objetivo de ter 20 a 25% da eletricidade americana produzida a partir de fontes renováveis em 2025. Embora a experiência de Portugal mostre que o progresso rápido é alcançável, demonstra também o preço de tal transição. Os lares portugueses há muito que pagam o dobro do que os americanos pela eletricidade e os preços subiram 15% nos últimos cinco anos, provavelmente por causa do programa de energias renováveis, afirma a Agência Internacional de Energia. […] Leia a tradução integral do artigo no sítio do jornal i